quarta-feira, 31 de julho de 2013

Gramática Essencial da Língua Portuguesa: 11. Concordância Verbal



11.1. Quando o sujeito é simples

a) Se for constituído por um substantivo coletivo, o verbo irá para o singular.

O batalhão refugiou-se no velho castelo.

Se o substantivo coletivo for seguido de palavras que especifique os elementos que o compõem, o verbo pode ir para o singular ou plural, conforme se queira realçar a ação do conjunto ou de cada elemento.

Um grupo de estudantes invadiu (ou invadiram) o salão.

b) Se for constituído por uma expressão que indica quantidade aproximada, o verbo geralmente vai para o plural.

Perto de mil atletas prestaram juramento ontem.

c) Se for constituído por uma expressão que indica parte de um todo, o verbo poderá ir ou não para o plural.
A decisão depende, antes, de uma opção estilística.

A maior parte dos candidatos desistiu (ou desistiram) do concurso.

d) Se for constituído pelo relativo que, o verbo concordará com o antecedente do pronome.

Foram eles que nos receberam no aeroporto.

Se o relativo vier antecedido pelas expressões um dos ou um dos + substantivo, o verbo geralmente vai para a 3° pessoa do plural.

Ele é um dos candidatos que venceram o concurso.
Ela é uma das candidatas que se esforçaram para o sucesso da festa.

e) Se for constituído pelo pronome relativo quem, o verbo poderá ser usado na 3° pessoa do singular ou concordar com o pronome pessoal, sujeito da oração anterior.

A partir deste instante, sou eu quem passa (ou passou) a transmitir o jogo.

f) Se for constituído pela expressão mais de um + substantivo o verbo ficará no singular, a não ser que expresse ideia de reciprocidade.

Mais de um aluno foi aprovado no teste.
Mais de uma deputado se ofenderam na reunião.

g) Se for constituído por expressões do tipo quis de, quantos de, alguns de, vários de etc, seguidas dos pronomes nós, vós ou vocês, o verbo irá para a 3° pessoa do plural, ou então concordará com o pronome que representa o todo.

Alguns de nós serão (ou seremos) escolhidos para a missão.

Se a expressão (ou locução pronominal indefinida) estiver no singular, o verbo evidentemente ficará no singular.

Um de nós será escolhido.

h) Se for constituído por nome de lugar ou títulos de obras que possuem formas plurais, o verbo ficará no singular.
Caso os nomes venham acompanhados de um artigo plural, o verbo geralmente vai para o plural.

Santos é uma bela cidade.
Os Estados Unidos são uma grande potência.
Os Lusíadas eternizaram o nome de Camões.

11.2. Quando o sujeito é composto

a) Se vier depois do verbo, este geralmente concorda com o núcleo mais próximo.

Amedrontou-nos o silencio e a escuridão do lugar.

b) Se os núcleos do sujeito constituem uma gradação, o verbo em geral fica no singular.

A indagação, a raiva, o ódio tomou conta de seu coração.

c) Se os núcleos dos sujeito são sinônimos ou tem sentidos próximos, o verbo fica no singular.

Sua calma e tranquilidade sempre nos transmitia segurança.

d) Se os núcleos do sujeito estão resumidos por um pronome indefinido (tudo, nada, ninguém), o verbo fica no singular.

Aflição, dores, tristeza, nada o fazia abandonar seu objetivo.

e) Se os núcleos do sujeito vem ligados por ou ou nem, o verbo vai para o plural quando a ação puder ser atribuída a todos os sujeitos.

Bajulação ou privilégio não o corromperam.

Quando a ação só pode ser atribuída a um dos núcleos, o verbo fica no singular.

O meu sucesso ou insucesso neste trabalho depende de sua ajuda.

f) Se o sujeito é composto por um ou outro ou nem um nem outro, o verbo geralmente fica no singular.

Um ou outro aluno será escolhido.
Nem um nem outro será eliminado.

g) Se o sujeito é composto pela locução um e outro , a concordância é facultativa.

Um e outro aluno entregou (ou entregaram) o trabalho.

Com o verbo ser, a concordância geralmente é feita no singular.

Um e outro participante é contrário ao regulamento.

h) Se o sujeito apresenta elementos correlacionados pelos conectivos assim... como, não só... mas também, tanto ... como, nem.. nem, etc., o verbo geralmente vai para o plural.

Nem a fama, nem a riqueza alteram seu modo de vida.
Não só o teatro como também a televisão muito o atraíram nos primeiros anos de sua carreira.

i) Se os núcleos do sujeito vem unidos por com, o verbo pode ser usado tanto no singular como no plural, conforme se queira realçar um deles ou os dois.

O professor com seus alunos ornamentaram todo o salão.
O pai, com o filho, veio reclamar da punição.

O mesmo ocorre quando os núcleos são ligados por conjunção comparativa (como, assim como, etc ).

A criança, como sua mãe, chorava muito.

j) Se os núcleos do sujeito estão representados por pronomes do caso reto, o verbo faz a seguinte concordância:

a) eu e tu: eu,tu e ele(s); eu e ele(s) = nós

Eu, Cleia e Mariana faremos esta viagem.

b) tu e ele(s) = vós

Tu e teus amigos ireis à fazenda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aulas de Português

Maiores Dificuldades da Língua Portuguesa

Estudos de Filosofia

Estudando a Língua Inglêsa

Língua Portuguesa: Correção de Frases