sábado, 17 de agosto de 2013

Sinais gráficos de acentuação

A acentuação gráfica consiste na aplicação de certos símbolos escritos sobre determinadas letras para representar o que foi estipulado pelas regras de acentuação do idioma.

Entre estes sinais estão os diversos acentos gráficos, além do restante dos diacríticos, como o trema, por exemplo.

Um diacrítico (do grego que distingue) é um sinal gráfico que se coloca sobre, sob ou através de uma letra para alterar a sua realização fonética, isto é, o seu som, ou para marcar qualquer outra característica linguística.

A língua portuguesa usa o acento agudo, acento grave, acento circunflexo, o til, o cedilha e o trema.

No que diz respeito a acentuação gráfica das palavras, uma ideia equivocada, que geralmente se tem, é achar que são os acentos que fazem com que os fonemas modifiquem seu som.

Pensa-se, por exemplo, que é o acento agudo "´" que faz com que /é/ seja pronunciado de modo "mais aberto" do que /e/. Ou então, outro exemplo, algumas pessoas ficam tentando pronunciar "corretamente" o a com crase [à] repetindo duas vezes a pronúncia da vogal [aa].

A linguística moderna esclareceu de uma vez por todas tal equívoco.

Trabalhos como os de Ferdinand de Saussure, Roman Jacobson, Emille Benvenist, André Martinet, Louis Hjelmslev e muitos outros que, no século XX, proporcionaram tamanho impulso aos conhecimentos linguísticos, principalmente a linguística estruturalista, tornaram claro que, em todas as línguas, a escrita é uma representação da fala, e não o contrário como se costuma pensar.

As letras são uma tentativa de representação dos fonemas da fala, mas apenas tentativa, pois as representações nunca são perfeitas o que é bastante fácil de constatar.

Basta lembrar que, dentre os mais variados agrupamentos étnicos do mundo, existem povos cuja língua nem sequer tem escrita e, no entanto, tais povos, se não têm escrita, nem por isso deixam de ter fala, e usam-na normalmente no seu dia-a-dia.

Desse modo, os sinais diacríticos, assim como todo o sistema da escrita, nada mais são do que uma tentativa de representar os sons dos fonemas.

O acento de /é/ tem meramente a função gráfica de representar esse som, preexistente na língua, que é a vogal aberta a ele associada.

Acentos gráficos e diacríticos

Acento agudo ( ´ )

Colocado sobre as letras a, i, o e sobre o e do grupo em, indica que essas letras representam as vogais tônicas da palavra.

carcará
caí
armazém.

Sobre as letras e e o, indica, além de tonicidade, timbre aberto.

lépido
céu
tóxico

Acento circunflexo ( ^ )

colocado sobre as letras a, e e o, indica, além de tonicidade, timbre fechado.

lâmpada
pêssego
supôs
Atlântico.

til ( ~ )

Indica que as letras a e o representam vogais nasais.

alemã
órgão
portão
expõe
corações
ímã.

Acento grave ( ` )

Indica a ocorrência da fusão da preposição a com os artigos a e as, com os pronomes demonstrativos a e as e com a letra a inicial dos pronomes aquele, aquela, aqueles, aquelas, aquilo.

à
às
àquele
àquilo.

Quando seguidas de m ou n, as letras a, e, o representam vogais nasais comumente fechadas, recebem acento circunflexo e não agudo.

câmara
ânus.

A única exceção ocorre nas terminações -em, -ens em que se usa acento agudo, a não ser nas formas da 3ª pessoa do plural, quando passa a usar o circunflexo.

porém
contém
provém
parabéns]

Há palavras em que o uso do acento agudo ou circunflexo pode ser escolhido pelo escritor como:

Abdómen/Abdômen
Cómico/Cômico
Fénix/Fênix
Fónico/Fônico
Gémeo/Gêmeo
Pónei/Pônei
Tónico/Tônico
Vólei/Vôlei.

Trema ( ¨ )

É aplicado a palavras estrangeiras como sobrenomes.

Müller

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aulas de Português

Maiores Dificuldades da Língua Portuguesa

Estudos de Filosofia

Estudando a Língua Inglêsa

Língua Portuguesa: Correção de Frases